AGRICULTURA CAMPONESA

É o modo de fazer agricultura e de viver das famílias que, tendo acesso à terra e aos recursos naturais que ela suporta, resolvem seus problemas reprodutivos por meio da produção rural, desenvolvida de tal maneira que não se diferencia o universo dos que decidem sobre a alocação do trabalho dos que se apropriam do resultado dessa alocação (Costa, 2000, p. 116-130).

 

Famílias desse tipo, com essas características, nos seus distintos modos de existência no decorrer da história da formação social brasileira, teceram um mundo econômico, social, político e cultural que se produz, reproduz e afirma na sua relação com outros agentes sociais. Estabeleceram uma especificidade que lhes é própria, seja em relação ao modo de produzir e à vida comunitária, seja na forma de convivência com a natureza.

 

Este modo de produção, além da subsistência, tem como objetivo o abastecimento da cidade.

AGRICULTURA EMPRESARIAL

A agricultura empresarial nada mais é aquela feita de forma profissional, como se fosse uma empresa, ao contrario da agricultura familiar que é apenas para seu consumo ou seja sua subsistência. Na agricultura empresarial, o agricultor age como um empresário obtendo o controle de tudo,tendo também nessas áreas uma tecnologia de ponta, muitos destes agricultores possuem seu próprio armazém, além disso tem também contratos de venda, trava de preço… A agricultura empresarial são muito reprodutivas gerando muito dinheiro e sendo assim muito lucrativas tanto quanto uma empresa.

Hoje em dia a agricultura também precisa de profissionais capacitados, pois a administração rural está em alta e precisa de pessoas que tem capacidade de tomar decisões embasadas em análises do que ocorreu antes e também a parte de planejamento do ocorrido com metas e objetivos para encaminhamento da mesma. Já o agricultor precisa sempre estar mudando, atualizando- se e ter um bom raciocínio , pois isso é de fundamental importância para os bens de produção continuarem sempre em um mercado competitivo. Nesta área existem sempre mudanças extremas, onde o agricultor sempre tenta a diminuição de custos, podendo assim aumentar sua rentabilidade dentro de sua propriedade.